16/03/2017

Venda de remédios cai 10% segundo Sindusfarma

Setor deverá rever taxa de crescimento para 2017

 

Um dos setores da economia habitualmente menos impactados por crises econômicas costumava ser o farmacêutico, face a sua natureza de urgência e por serem os medicamentos considerados itens de primeira necessidade.

Segundo matéria publicada ontem na Folha de S. Paulo, no entanto, o SINDUSFARMA (sindicato das empresas do segmento) informa que a venda de medicamentos para consumidores finais teve uma redução de 10,23% nos últimos seis meses; já nos últimos três meses, as unidades vendidas tiveram uma queda de 14%.

O Sindicato ainda prevê que os meses de março, abril e maio desse ano apresentem resultados negativos.

“A prolongação dos meses de desempenho ruim significa que o varejo não só ajusta estoques, mas, sim, vende menos. Isso deve causar impactos nas indústrias produtoras”, diz  Nelson Mussolini, presidente da entidade.

Os medicamentos cujos desempenhos de vendas nas farmácias tiveram os piores desempenhos são os de tratamentos de doenças crônicas, como pressão alta e diabetes.

Compras governamentais, principalmente de prefeituras, também estão refletindo no mau momento das vendas.

Voltar para notícias